Como a pandemia afeta nossa saúde mental

Em 31/07/2020
Como a pandemia afeta nossa saúde mental

 

 

A cada dia que a pandemia da covid-19 se estende, aumentam as incertezas quanto ao futuro. Perguntas como “minha família e amigos continuarão saudáveis” e “será que vou conseguir manter meu emprego” começam a ficar cada vez mais frequentes. Para piorar o cenário, as medidas de isolamento social, necessárias para conter o avanço do vírus, nos privam das coisas que gostamos - e que nos fazem bem. Todas essas (e muitas outras) fontes de frustração fazem com que nos sintamos cada vez mais vulneráveis. E o impacto disso na nossa saúde mental é extremamente grande. No mundo corporativo, um dos sintomas dessa adoecimento coletivo é a queda na produtividade e o aumento de doenças mentais relacionadas ao trabalho, como o burnout. (fonte: epocanegocios.globo.com)

A psicóloga Ismênia Maria explicou sobre a síndrome de Burnout em um artigo que ela preparou para o Instagram da Sell Clínica:

SÍNDROME DE BURNOUT Também conhecido como ESGOTAMENTO PROFISSIONAL, é um distúrbio emocional, onde o sujeito acometido apresenta sinais de estresse, exaustão extrema e desgaste físico, devido ao excesso de trabalho. Profissões que consistem principalmente em oferecer serviços humanos e de grande relevância para o usuário, podem ter uma maior probabilidade de adquirirem um quadro de estresse crônico e consequentemente a exaustão emocional.
 

Em elevados níveis o estresse ocupacional crônico pode gerar a exaustão emocional, levando o indivíduo a um esgotamento dos seus recursos emocionais, podendo ser acompanhada da falta de energia, entusiasmo, sensação de vazio e uma dificuldade de lidar com as emoções dos outros podendo assim ter sintomas tanto psíquicos como físicos. No contexto atual onde as exigências pessoais, exigências do mercado de trabalho cada dia mais competitivo, a exigência da função que requer uma dose maior de envolvimento emocional, ter que lidar e conviver com tantas tensões, pressões em diversas situações difíceis se torna um desafio para o exercício saudável da profissão, afetando assim o bem estar do sujeito.
 

Qualquer indivíduo inserido no contexto atual está exposto a algum nível de estresse e de exaustão emocional, pois as relações coletivas podem causar tais fenômenos, todavia, profissionais que possuem uma relação interpessoal, a exemplo dos profissionais da saúde, estão mais propensos a desencadearem esses sintomas, acarretando em uma reação de tensão emocional crônica, que podem ter como origem más condições de trabalho, não reconhecimento financeiro e profissional além de trabalhar com pessoas possivelmente inseridas em contextos conflituosos.